“Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música e quem não acha graça de si mesmo.”
Martha Medeiros.  (via romantizar)

Medo

Existe algo tão grande e misterioso que me torna incapaz de me defender. 

Me faço forte, Finjo ser de aço quando no fim sou apenas um ser emotivo e extremamente frágil. Tenho tanto medo de ficar sem você que me trancafio em mim mesma. Tenho medo das suas atitudes, mesmo sabendo que você só está me amando, me protegendo.

O medo é algo líquido e preto que corre junto ao vermelho do meu sangue, enche minhas veias e controla todo o meu corpo. Quantas vezes de afastei de mim por medo, medo infantil e controlador que tenho de mim mesma. 

Me desculpa, quero você comigo, mas quando é que conseguirei arrancar esse líquido quente como o aço de dentro das minhas veias pulsantes?


“Mãe, parece que meu coração ta quebrado.”
Dominique, 4 anos.   (via not-impossible-dreams)

fogo

Era uma vez a fagulha,

que surgia pequena e brilhante em algumas ocasiões. Ela sentia que por mais que quisesse, via o mundo por pouco tempo. Um dia, porém, foi lançada em alguns galhos secos e, para sua surpresa, se transformou em chama, que seu calor aquecia e alimentava aqueles que ao redor dela se reuniam. Percebeu, então, que era importante. Fagulha, chama, tudo o que é fogo e aquece, é a menina dessa história! 


Era uma vez a brisa,

que brincava soprando ao norte todas as coisas que surgiam em seu caminho. Quando o céu escurecia e chovia durante o dia, sentia que por mais que soprasse, não era o bastante. 

Soprou, soprou e com muito esforço uma ventania se formou. Sentiu, então, que era forte, muito mais forte do que esperava. A brisa, ventania, furacão, tudo o que sopra e quer ser mais forte é a menina dessa história!


“Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra nós que amor não é acionado, nem chega com hora marcada. Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável. Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada “dois em um”: duas pessoas pensando igual, agindo igual, que era isso que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável. Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos. Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto. Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas. Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso tudo pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho. E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém.”
John Lennon.   (via romantizar)

tragoestragos:

não me encontro no dicionário, nem nas linhas que descrevem o caos.


“Nunca conheci alguém como você. Eu olho pra você e vejo um anjo, eu toco a sua pele e todo meu corpo acende, eu beijo você e… eu sei que estou me apaixonando.”
The Vampire Diaries.   (via cartas-rasgadas)

Anônimo murmurou:
uni tu nunca fica triste? :c me ensina

effingos:

nunca fico triste nao,

a tristeza aperta os meus peitos, e eu não sou muito fã de sutiã.  ^^ 


“Nunca me senti só. Durante um tempo fiquei numa casa, deprimido, com vontade de me suicidar, mas nunca pensei que uma pessoa podia entrar na casa e me curar. Nem várias pessoas. A solidão não é coisa que me incomoda porque sempre tive esse terrível desejo de estar só. Sinto solidão quando estou numa festa ou num estádio cheio de gente.”
Charles Bukowski.  (via invirbus)

“Quando os adultos dizem: “Os adolescentes se acham invencíveis”, com aquele sorriso malicioso e idiota estampado na cara, eles não sabem quanto estão certos. Não devemos perder a esperança, pois jamais seremos irremediavelmente feridos. Pensamos que somos invencíveis porque realmente somos. Não nascemos, nem morremos. Como toda energia, nós simplesmente mudamos de forma, de tamanho e de manifestação. Os adultos se esquecem disso quando envelhecem. Ficam com medo de perder e de fracassar. Mas essa parte que é maior do que a soma das partes não tem começo e não tem fim, e, portanto, não pode falhar.”
Quem é você, Alasca?   (via invirbus)

“Eu te amo, sabe? E não é pouco. Não sei se é recíproco, mas amo. Foram noites de insônia pra eu ter certeza que você é a única pessoa a ocupar não só minha mente, como meu coração. Digo e repito: Eu te amo. E é essa minha resposta quando você perguntar porque ainda insisto. Se não for o suficiente, desculpa. O amor é o melhor que posso lhe oferecer.”
Thiago Lopes.   (via invirbus)

“Certo dia andando na rua com uma amiga, quando do nada topei na calçada o que me levou quase cair, minha amiga parou e falou: "O que te leva pra frente, é um topada" e começou a rir, eu apenas sorri, não sei porque mas achei aquela frase bonita, ela tinha muito sentido, que até então eu não sabia. Tudo isto me leva a pensar que algumas coisas ruins que me deixaram tristes e tombos que tive de passar nessa vida, era a topada da calçada e que tudo me levou a seguir adiante, em frente, para ser maior que já sou.
quoteografa  (via invirbus)


“Eu sou a obra rustica da cidade. Entre todos esses prédios e arranha-céus eu sou o monumento que desmorona e ninguém nota. De pouco em pouco eu perco um pouco de mim. Ah, se souberes o quanto sou velho, não em questão de aparência, mas sim, de pensamentos.”
Jadson Alcanttara (via effingos)